domingo, 10 de maio de 2015

Obras do hospital da Brasilândia começam no próximo mês

Prefeito Haddad anunciou início da construção do equipamento em visita neste sábado (9) ao programa Prefeitura no Bairro no Jardim Elisa Maria, na zona norte

As obras do novo Hospital da Brasilândia serão iniciadas pela Prefeitura em junho. O anúncio foi feito pelo prefeito Fernando Haddad em visita neste sábado (9) ao programa Prefeitura no Bairro, que encerrou sua primeira fase de atividades no Jardim Elisa Maria, na Brasilândia, zona norte. Demanda antiga dos moradores da região, o equipamento será construído na estrada do Sabão.

“Eu ouvi muitas demandas de saúde aqui. Eu disse que ia fazer o hospital na região e a obra começa em junho. Vamos no mês que vem iniciar a obra já com as máquinas e a construção vai durar 18 meses. Esse hospital vai contar também com especialidades, um ambulatório para não demorar mais para ter as consultas com especialistas”, afirmou Haddad.

No dia 27 de março, o prefeito sancionou uma lei que permite a venda de uma área municipal de 5.798 metros quadrados, localizada na rua Voluntários da Pátria, em Santana, para obter os recursos que serão utilizados na construção do novo Hospital da Brasilândia. O equipamento de saúde terá área construída de 42 mil metros quadrados e contará com 250 leitos, incluindo 40 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), além de pronto socorro 24 horas e ambulatório de especialidades. O hospital é reivindicado pela população da Brasilândia há 20 anos.

A aproximação entre a administração municipal e as demandas das comunidades nos bairros é um dos objetivos do Prefeitura no Bairro, que funcionou desde esta segunda-feira (4) no Jardim Elisa Maria. “Essa iniciativa tem dado muito certo, porque você vem com toda essa equipe, ouve e processa as principais reivindicações. Muita coisa dá para fazer imediatamente, algumas coisas a gente faz com mais calma, mas faz”, avalia Haddad.

O Prefeitura no Bairro leva serviços e políticas públicas de maneira intensiva a locais com alta vulnerabilidade social. “Nós estamos esta semana toda fazendo o que precisa ser feito. Nossa ideia não é só vir aqui e ouvir, mas a gente veio também trazer serviços e melhorias para o bairro”, afirmou Nádia Campeão, que também coordena o Comitê Integrado de Subprefeituras (CIS).

Serviços
Em cinco dias, foram realizados 1173 atendimentos na Praça dos Setes Jovens, que concentrou postos móveis de 20 órgãos públicos. O serviço mais procurado foi o da secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo, com unidades móveis do Centro de Apoio ao Trabalho (CAT) e do Microempreendedor, por onde passaram 502 pessoas para emissão de carteira de trabalho, habilitação para o seguro desemprego, informações e esclarecimentos sobre regularização de pequenos empreendimentos.

A Secretaria de Assistência Social fez até 52 atendimentos de cadastros para os programas sociais e 30 pessoas foram encaminhadas para o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e para o Serviço de Assistência Social à Família (Sasf) Elisa Maria, onde terão acompanhamento familiar. Já a Secretaria de Políticas para as mulheres ofereceu orientações e encaminhamentos a 22 mulheres. Na tenda da Secretaria de Saúde, por sua vez, foram distribuídos 6.632 materiais de prevenção a DST/AIDS.

No posto de atendimento da Secretaria de Serviços foram atendidas 22 pessoas que solicitaram serviços de zeladoria e iluminação.  Com o ônibus CET no seu Bairro, a Companhia de Engenharia de Tráfego recebeu 30 demandas da comunidade, além de 90 projetos de sinalizações e mudanças no trânsito que serão executados na próxima semana.

“O nosso bairro tem como tradição a participação total da comunidade nas atividades na região. Nós queremos mudar a cara do bairro e esta ação vai deixar frutos e melhorias para o Jardim Elisa Maria”, disse o líder comunitário Sebastião da Silva.

Além do atendimento na praça, até 16 de maio ações de zeladoria são intensificadas em 60 ruas do bairro, que abrigam cerca de 1600 moradias. São beneficiadas as áreas da Cohab Promorar, Cohab Residencial Santa Terezinha, Conjunto Habitacional Sítio dos Francos, Conjunto Promorar Estrada da Parada, Jardim dos Francos e Jardim Vista Alegre.

A subprefeitura Freguesia/ Brasilândia limpou 350 bueiros, 80 poços de visita, 4.500 m² de leitos de córregos, revitalizou 4 mil m² de calçadas de imóveis municipais, além de ter cortado 26 mil m² de grama em praças e canteiros e tapado 1.200 buracos. Outra melhoria foi o asfaltamento da rua Augusto Cesar Sandino e do pátio junto à escadaria Rômulo Naldi.  A iluminação também foi reforçadas com 147 novos pontos, instalados principalmente em locais próximos a escolas e postos de saúde.

Visita
Uma das áreas mais beneficiadas pelas ações foi a rua Bernardo de Vera, que ganhou um novo espaço de lazer, a Praça Dona Dora, em um local que antes era um ponto viciado de descarte irregular de lixo. A visita de Haddad à região da Brasilândia foi iniciada na nova praça, que está equipada com uma pequena quadra, bancos e mesas. O prefeito esteve no local nesta manhã acompanhado por Ana Estela Haddad, primeira-dama e coordenadora do programa São Paulo Carinhosa.

Após conhecer a praça, Haddad acompanhou as atividades do Centro de Educação Infantil Maria Tereza, que neste sábado promove oficinas do projeto Família na Escola. Familiares e crianças participaram juntos de aulas de arte, de fuxico, de bijuteria e contação de histórias. O objetivo da iniciativa é estreitar os laços entre adultos e crianças, por meio de atividades divertidas.

Em seguida, o prefeito visitou os postos de atendimento do programa Prefeitura no Bairro, onde foi homenageado por participantes do projeto Funk SP, que organiza festas de funk legalizadas. Na área, o diálogo com a comunidade reduziu mais de 80% da quantidade de festas nas ruas.  O bairro da Brasilândia já recebeu dois eventos do projeto, que tiveram juntos público de mais de 20 mil pessoas.

Acompanharam a visita à região os secretários Denise Motta Dau (Políticas para Mulheres), Eduardo Suplicy (Direitos Humanos e Cidadania), Wanderley Meira do Nascimento (Verde e Meio Ambiente), Ricardo Teixeira (Coordenação das Subprefeituras), Antonio Pinto (Promoção da Igualdade Racial), Jilmar Tatto (Transportes), Simão Pedro (Serviços), Mariane Pinotti (Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida) e Nabil Bonduki (Cultura).

Fonte: Portal de Notícias/Prefeitura São Paulo

quinta-feira, 2 de abril de 2015

PS infantil dispensa pacientes com suspeita de dengue

Matéria publicada originalmente pelo Agora São Paulo
Regiane Soares
do Agora
Os pais que foram ontem à tarde ao pronto-socorro infantil do Hospital Geral Vila Nova Cachoeirinha, no Limão (zona norte), tiveram que procurar outra unidade de saúde para levar seus filhos.
Segundo informações repassadas aos pais por funcionários, o motivo da dispensa dos pacientes foi o excesso de crianças que aguardavam por atendimento na recepção.
A maioria apresentava sintomas da dengue.
A reportagem esteve no pronto-socorro ontem e logo no portão uma funcionária da segurança explicava que os atendimentos estavam suspensos desde as 11h30 por superlotação e não tinha previsão para voltar.
A funcionária orientou a reportagem, que não se identificou, a procurar a ouvidoria do hospital se quisesse fazer uma queixa.
"Você está no seu direito de reclamar, mas não adianta nem entrar. Não vai ser atendida", disse.
Resposta
A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual da Saúde negou que houve dispensa de pacientes no pronto-socorro do hospital Vila Nova Cachoeirinha ontem e que "em nenhum momento" os funcionários foram orientados a barrar pessoas na entrada.
A pasta informou que o pronto-socorro atendeu 550 pacientes até as 16h.
Segundo a secretaria, no momento em que a reportagem visitou a unidade, a equipe médica atendia a uma criança que teve uma parada cardiorrespiratória.

quinta-feira, 19 de março de 2015

PL que destina verba para construção de hospital na Brasilândia é aprovado na Câmara Municipal

DA REDAÇÃO

A Câmara Municipal aprovou, durante sessão extraordinária nesta quarta-feira (18/03), o Projeto de Lei (PL) 54/2015, do Executivo. A matéria autoriza a venda de uma área municipal na zona norte e obriga que o recurso adquirido seja destinado ao Fundo Municipal de Saúde, e posteriormente empenhado na construção do Hospital da Brasilândia, que já está licitado.

A área em questão possui 5.798,00 m², está localizada à Rua Voluntários da Pátria, em Santana, e abriga uma unidade do Hospital São Camilo, instalada desde 1976.

O texto que vai à sanção do prefeito Fernando Haddad recebeu duas emendas em plenário. A primeira, proposta pelo vereador José Police Neto (PSD), garante que, após ser negociado, o imóvel manterá no local a atividade hospitalar pelo prazo de 35 anos.

“Deixamos expresso na lei que a função social daquele terreno que hoje é público e será privado deve perdurar. A cidade de São Paulo tem carência de três mil leitos hospitalares, não faz sentido num espaço que hoje tem mais de 250 leitos, a pretexto de se construir um novo hospital em Brasilândia, fecharmos estes leitos na mesma zona norte”, explicou Neto.

A outra contribuição sofrida pelo PL garante que o Executivo fará uma nova avaliação da área antes de efetuar o negócio, que de acordo com o projeto está avaliada em cerca de R$ 70 milhões. O vereador Claudinho de Souza (PSDB) acredita que a quantia final será muito superior a estimada de início.

“Eu acho que o terreno em Santana, vendendo barato, deve custar cerca de quatro ou cinco mil reais o metro, se multiplicarmos isso pela área em questão, vai se chegar a algo em torno de R$ 350 milhões, ou seja, muito mais alto do que tem se dito. Nós vamos ficar atentos a essa reavaliação da área”, disse Souza.

O vereador Paulo Frange (PTB) explicou sobre como será o processo de venda da área. “É a primeira vez que a Câmara aprova a venda de um imóvel, seja na saúde, educação ou assistência social, em processo de licitação. Todas às vezes a Lei Orgânica garante que a entidade instalada possa comprar em negociação com o município, mas aqui, para ficar ainda mais transparente, o processo é de licitação”, garantiu.

Fonte: Portal da CMSP

segunda-feira, 9 de março de 2015

Imediações do Largo do Japonês no abandono total

Lixo e entulhos na esquina das ruas Julião Ferreira da Silva x Francisco Calado, próximo ao Largo do Japonês

Ponto viciado de descarte de lixo e entulho, há muitos anos, conta com a despreocupação da Subprefeitura Casa Verde/Cachoeirinha e a falta de educação da população local para continuar ativo. Raramente é feita a limpeza no local, possivelmente uma vez por semana, o que é muito pouco, a população descarta ali todo tipo de material inservível como se fosse a coisa mais natural do mundo, do tipo eu jogo e a prefeitura tem a obrigação de retirar. Só que a Subprefeitura deixa de cumprir com a sua obrigação e o ponto vai sobrevivendo.


Há alguns anos, formou-se na rua Julião Ferreira da Silva uma pequena favela com barracos que abrigam moradores de rua, já foi bem maior, hoje está reduzida pela metade. Os moradores ocupam uma calçada com seus barracos e a outra, do outro lado da rua, como seus quintais, onde se reúnem  para o bate-papo na companhia de seus cães e estacionam suas carroças.
Com as duas calçadas ocupadas por moradores de ruas, os pedestres são obrigados a trafegarem pelo meio da rua, colocando suas vidas em perigo, por tratar-se de uma via de grande movimento.

Fica a dia!

Postagens populares