Publicidade

sábado, 31 de março de 2012

Editado decreto de desapropriações para trecho Norte do Rodoanel

Gasto previsto é de R$ 700 milhões.
Cerca de 2,5 mil propriedades serão afetadas.

Do G1/SP

Alckmin fez anúncio em Mogi das Cruzes, na Grande SP (Foto: José Luís da Conceição/ Divulgação)Alckmin assinou decreto durante visita a Mogi das
Cruzes, na  Grande SP
(Foto: José Luís da Conceição/ Divulgação)
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, editou nesta sexta-feira (30) o decreto de desapropriação de imóveis para a construção do Trecho Norte do Rodoanel. O gasto previsto é de R$ 720 milhões. Cerca de 2,5 mil propriedades serão afetadas. A fase de contato e negociação com os moradores ocorrerá após a publicação do decreto.
De acordo com o governo  paulista, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) ficará autorizado a desapropriar os imóveis ao longo do trecho, que atravessa os municípios de São Paulo, Guarulhos e Arujá, interceptando também a Rodovia Fernão Dias (BR-381).
A futura rodovia começa  no Trecho Oeste (entroncamento com a avenida Raimundo Pereira de Magalhães, antiga SP-332) e termina na interligação com a Rodovia Presidente Dutra (BR-116).
A área total abrangida pelo Rodoanel Norte tem aproximadamente 10 milhões de metros quadrados. A faixa de domínio conta com extensão total de 47,4 Km, com largura média de 130 metros.

Traçado do trecho norte do Rodoanel Mario Covas (Foto: Divulgação/Secretaria dos Transportes)
Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa ligada à Secretaria de Logística e Transportes, vai conduzir o cadastramento e a avaliação dos imóveis, mas caberá ao DER o processamento das desapropriações, conforme convênio assinado em dezembro de 2011.
O trecho Norte é o último a ser construído, completando o anel perimetral de 177 km em torno de São Paulo. Os recursos que suportarão os investimentos de implantação do Trecho norte, de R$ 6,51 bilhões, vêm de três origens: R$ 2,79 bilhões do Tesouro do Estado de São Paulo; R$ 2 bilhões por meio de um empréstimo obtido pelo governo paulista junto ao BID e R$ 1,72 bilhão proveniente do Governo Federal.
Fonte: Portal G1/SP

Publicidade

Postagens populares